Diálogos em Sociologia Clínica

O grupo de pesquisa Diálogos em Sociologia Clínica é registrado no Diretório de Grupos do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) desde o ano de 2014, apesar de estar em atividade desde 2009. Está sob coordenação da profa. Christiane Girard Ferreira Nunes (Departamento de Sociologia-UnB) e conta com a participação de professores e estudantes (graduação, mestrado e doutorado) da Universidade de Brasília (UnB), Universidade Católica de Brasília (UCB), Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Brasília (IFB) e Universidade Federal de Goiás (UFG). Conta ainda com a participação de profissionais que atuam no mercado e no setor público do Distrito Federal, como a Secretaria de Desenvolvimento Humano e Social do Distrito Federal (SEDHS/DF), a Secretaria de Saúde do Distrito Federal (SES/DF), o Conselho Regional de Psicologia (CRP-DF) e o Instituto de Pesquisa e Intervenção Psicossocial/Centro de Psicodrama de Brasília (INTERPSI/CPB). Congrega profissionais e estudantes das áreas de Sociologia, Psicologia, Educação, Administração e Antropologia.

O grupo faz parte de uma rede internacional de pesquisadores, sendo vinculado ao Réseau Internacional de Sociologie Clinique (RISC), como é possível verificar no site www.sociologie-clinique.org. Com sede em Paris (França), na Université Paris-Diderot (Paris 7), o RISC é responsável por uma série de publicações e pesquisas na área de sociologia clínica, e está sob coordenação de Vincent de Gaulejac, professor emérito desta universidade. Fazem parte da rede, pesquisadores da Argentina, Bélgica, Brasil, Canadá, Chile, Colômbia, Espanha, França, Haiti, Itália, México, Rússia, Suíça, Turquia e Uruguai. A coordenadora do grupo Diálogos em Sociologia Clínica, profa Christiane Girard Ferreira Nunes, é membro fundadora do RISC.

O vínculo e constante intercâmbio de nosso grupo com pesquisadores internacionais e nacionais, assim como sua importância enquanto pesquisadores e divulgadores da Sociologia Clínica tanto em âmbito local quanto nacional, evidencia-se pelos eventos por nós realizados.

No ano de 2015, foi realizado entre os dias 02 e 03 de junho, o IV Colóquio Internacional de Psicossociologia e Sociologia Clínica, no auditório da Universidade Católica de Brasília. Sob coordenação da professora Maria Aparecida Penso (Departamento de Psicologia – UCB, membro do grupo de pesquisa Diálogos em Sociologia Clínica), o evento contou com a participação de cerca de 150 pessoas, além de palestrantes nacionais e internacionais. Esse Colóquio foi organizado por membros da Rede Internacional de Sociologia Clínica baseados em Brasília e contou com o apoio da Universidade Católica de Brasília (UCB), da Universidade de Brasília (UnB), da Secretaria de Desenvolvimento Humano e Social do Governo do Distrito Federal (SEDHS/DF), do Conselho Regional de Psicologia do Distrito Federal (CRP-DF), do Instituto Fazendo História e do Instituto de Pesquisa e Intervenção Psicossocial/Centro de Psicodrama de Brasília (INTERPSI/CPB).

Ainda no ano de 2015, entre os dias 20 e 22 de outubro, o grupo realizou a Semana de Diálogos em Sociologia Clínica na Universidade de Brasília, que contou com a presença do professor Vincent de Gaulejac. Durante uma semana, estudantes, professores e profissionais de Brasília e de outros estados puderam participar de diversas atividades com o professor francês, o que contribuiu para o fortalecimento e a divulgação da sociologia clínica no Brasil. Nesta ocasião, o pesquisador proferiu uma conferência intitulada As origens da vergonha no auditório do Instituto de Ciências Sociais da UnB para uma plateia de mais de 100 pessoas.

Entre os dias 19 e 22 de setembro de 2016, promovemos a II Semana de Diálogos em Sociologia Clínica, novamente na Universidade de Brasília. Recebemos o pesquisador Jacques Rhèaume, professor emérito da Université du Québec à Montréal (Canadá), para uma semana de debates e conferência. Professores, pesquisadores, estudantes e profissionais de Brasília e Goiás puderam trocar ideias com o pesquisador. Particularmente, profissionais participantes de nosso grupo, que desenvolvem atividades junto à SEDHS/DF e ao CRP-DF, tiveram a oportunidade de apresentar e discutir com o professor casos socioclínicos, com os quais se defrontam no dia-a-dia de seus trabalhos.

No ano de 2016, entre os dias 9 e 11 de novembro, foi realizado o V Colóquio Internacional de Psicossociologia e Sociologia Clínica. Intitulado As figuras da crise: Dilemas da contemporaneidade, o evento recebeu professores e pesquisadores vindos do Canadá, França, Argentina, Uruguai, Minas Gerais, Rio de Janeiro e Goiás. Além de contar com a participação de professores e pesquisadores da Universidade de Brasília, Universidade Católica de Brasília e Instituto Federal de Brasília, assim como, profissionais que desenvolvem atividades junto à Secretaria de Desenvolvimento Humano e Social do Distrito Federal e outras instituições públicas e privadas. Neste evento, tivemos 120 pessoas inscritas, dentre estudantes de todos os níveis (graduação, mestrado e doutorado) do Distrito Federal e outras regiões do país, assim como profissionais atuantes em instituições públicas e privadas do DF e Entorno.

Esse mesmo evento rendeu a confecção e publicação de um livro, intitulado Diálogos em Sociologia Clínica: Dilemas Contemporâneos (2018), publicado pela Editora IFB, com os artigos dos trabalhos apresentados durante o colóquio.

Em 2017, entre os dias 26 e 29 de julho, nosso grupo participou do 18º Congresso Brasileiro de Sociologia. A coordenadora do grupo e um de seus participantes, ambos membros do RISC, estiveram à frente do GT  36 (Sociologia Clínica). Pesquisadores de diversas universidades brasileiras apresentaram seus trabalhos e estiveram presentes nos debates a respeito da abordagem da sociologia clínica.

Ainda em 2017, no dia 24 de novembro, o grupo Diálogos em Sociologia Clínica proporcionou a exibição e debate do filme Entre passagens e fronteiras, produzido e dirigido pela professora Teresa Carreteiro (Departamento de Psicologia – Universidade Federal Fluminense) no auditório do Instituto de Ciências Sociais da UnB. Estudantes, pesquisadores, professores, profissionais atuantes no mercado e em instituições públicas do DF participaram deste evento, que contribui para a divulgação da sociologia clínica no Distrito Federal e no Brasil.

Conforme citado anteriormente, o grupo Diálogos em Sociologia Clínica é atuante desde do ano de 2009 e, além do livro Diálogos em Sociologia Clínica: Dilemas Contemporâneos (2018), alguns de seus membros também tiveram outras publicações recentes. Como, por exemplo, o livro Jovens pedem socorro (Editora Liber Livro, 2012), de autoria das professoras Maria Aparecida Penso (UCB), Maria Inês Gandolfo (UnB), Liana Fortunato Costa (UnB) e Teresa Cristina Carreteiro (UFF), que descreve a história de vida de adolescentes infratores. Esse livro foi o resultado de um pós-doutorado das três primeiras autoras sob a orientação da professora Teresa Carreteiro, uma das referências em Psicossociologia e Sociologia Clínica no Brasil. Desde então este referencial tem sido incluído nas teses e dissertações orientadas por essas professoras, bem como nas orientações realizadas pela profa. Christiane Girard Ferreira Nunes, da UnB.

No ano de 2018 uma importante publicação foi o artigo A sociologia clínica no Brasil, de autoria de Christiane Girard Ferreira Nunes e Pedro Henrique Isaac Silva, na Revista Brasileira de Sociologia. Ambos são membros de nosso grupo e do RISC.

Além dessas publicações, o grupo conta com monografias, dissertações e teses produzidas produzida por seus estudantes: Biografias, atuações profissionais e reflexões traçadas pela morte e o morrer: diálogos com profissionais de Cuidados Paliativos entre México e Brasil, monografia de Ângelo Miranda, defendida em 2017; Peguei o diploma, e agora?: desafios, dilemas e estratégias de inserção ocupacional de jovens recém-graduados em Ciências Sociais, dissertação de mestrado de Tauvana Yung, defendida em 2013; Trabalho e identidade: trajetórias de mobilidade ocupacional histórias de vida por um olhar da sociologia clínica, dissertação de mestrado de Thamires Castelar, defendida em 2013; O que fazemos do que fazem de nós: trajetórias sociais e militância entre os catadores de materiais recicláveis no Brasil, tese de doutorado de Pedro Isaac, defendida em 2015. São alguns exemplos.

Por fim, gostaríamos de acrescentar que tanto na Associação Internacional de Sociologia (ISA), quanto na Associação Internacional de Sociólogos de Língua Francesa (AISLF), a sociologia clínica é reconhecida institucionalmente, sendo representada na ISA pelo grupo de trabalho RC046 e na AISLF, pelo GT016. Membros do grupo Diálogos em Sociologia Clínica participam constante e ativamente das reuniões promovidas por estas duas instituições, coordenando, debatendo e apresentando seus trabalhos.

2 comments on “Diálogos em Sociologia Clínica

Laisser un commentaire

Votre adresse de messagerie ne sera pas publiée.